O Portal Jack Comunica não se responsabiliza pelos conteúdos publicados pelos nossos colunistas.

O Portal Jack Comunica não se responsabiliza pelos conteúdos publicados pelos nossos colunistas.

Roberto Mendes e José Carlos Capinan apresentam “Flor da Memória” no Teatro Sesi Rio Vermelho

Capinan e Roberto Mendes _ Foto _ Jamile Coelho

Intitulado “Inventário” o espetáculo irá apresentar canções e sucessos dos artistas

É unindo poesia, música e muita história que os cantores e compositores baianos Roberto Mendes e José Carlos Capinan se apresentam com “Flor da Memória”, nos dias 10 e 17 de julho, às 20h, no Teatro Sesi Rio Vermelho e os ingressos já estão à venda na bilheteria do espaço.

Um show intimista que vai marcar o reencontro de dois grandes artistas numa parceria e amizade que dura mais de duas décadas em que irão celebrar junto ao público, as canções, conversas, chulas e tantos outros momentos de afeto e descontração. No “Inventário” da apresentação será também um reencontro deles com quem já conhece e entende das canções de Roberto Mendes e os poemas e a arte de Capinan.

Para José Carlos Capinan ter Roberto Mendes nessa parceria é importante e uma forma de juntar duas culturas distintas, a de Entre Rios com a do Recôncavo. “Estou neste momento com uma das parcerias mais importantes para o meu trabalho que junta a minha cultura do interior de Entre Rios com a cultura do Recôncavo. Roberto Mendes é de Santo Amaro e tem uma visão promovida pela vivência e cultura, tanto musicalmente quanto literalmente”, pontua Capinan. Ele cita também a importância do espetáculo. “Esse encontro nosso é um evento que se mistura com a invenção, principalmente promovida pela memória, pela lembrança e pelo que passamos juntos cada um como indivíduos. Estamos ensaiando para o show “Flor da Memória” que é um show que vai acontecer no SESI e acredito que o nosso público generoso irá gostar”, ressalta o artista.

Já Roberto Mendes convida o público para o encontro: “Quero convidar vocês para assistirem o show “Flor da Memória” que junto com o meu parceiro Capinan, faremos um belo espetáculo nos dias 10 e 17 de julho, às 20h, no Teatro Sesi Rio Vermelho”.

No repertório, o público poderá conferir canções já conhecidas e de grandes sucessos como “Tempos Quase Modernos”, gravada e interpretada por Elba Ramalho e Gabriel Pensador; “Todo Seu Querer”, sucesso na voz de Fagner; “Aos Portugais”, gravada em clipe por Mariene de Castro; “Ya Ya Massemba”, “Beira Mar”, “Estranho Rapaz” e “Manda Chamar”, gravadas e interpretadas por Maria Bethânia.

Roberto Mendes é músico e pesquisador das tradições seculares do Recôncavo Baiano, de um comportamento que se traduz em Canção. Roberto é uma variante das matrizes de sua tribo, de sua gente, responsável por levar esse canto de labor para o Brasil, tornando-se depois uma dessas matrizes. Filho legítimo de Santo Amaro da Purificação, na Bahia, Roberto é único no que faz, tocando e cantando Chula e Xaréu, o samba antes do samba, além de outros ritmos que navegam horizontalmente sobre seu violão, como um rio sem cais. Com parceiros como Jorge Portugal, Nizaldo Costa, J. Veloso, João Mendes e Capinan, escreveu suas principais obras, gravadas por Maria Bethânia, Elba Ramalho e muitos outros intérpretes. Roberto se tornou reconhecido nacionalmente, com os pés fincados em Santo Amaro, com a sua gente e suas matrizes. Saiu de Santo Amaro para o mundo sem nunca ter ido.

José Carlos Capinan é um poliedro multidimensional, para o qual nunca existiram fronteiras. Ator, escritor, poeta e letrista, Capinan saiu de Pedras, na Bahia, para Taperoá, também na Bahia. De lá foi para Salvador, e de Salvador para o Brasil e o mundo, através das parcerias feitas com os grandes nomes da música popular brasileira. Suas poesias e letras sempre estiveram para além do tempo. No início da década de 60 foi atraído por Tom Zé, quando trabalhavam no CPC, em Bumba meu boi. E foi o imã que atraiu Gil e Caetano. Lançou Inquisitorial, seu livro poético de estreia, em 1966, com poemas modernos que reagiam, sem meias palavras, à opressão. Inquisitorial é considerado seu livro mais marcante. Em 1967 ganhou o Festival de Música da Record, com a letra de Ponteio, defendida por Marília Medalha e Edu Lobo. A derivação para o movimento tropicalista foi natural, sendo ele um dos principais ícones. Capinan é um dos maiores poetas e letristas da música popular brasileira de todos os tempos, com mais de 200 letras transformadas em canção, como Papel Marchê, Viramundo, Soy loco por ti América, Moça Bonita, Clarice, Coração Imprudente, Gotham City, Cidadão, dentre tantas mais, com inúmeros parceiros, como Roberto Mendes, Gilberto Gil, Caetano Velloso, Paulinho da Viola, João Bosco, Jards Macalé, Zeca Baleiro. Desde os anos 2000, quando o Brasil fez 500 anos, tem Roberto Mendes como principal parceiro. As duas primeiras canções da parceria são: “No iva Brasileira” e “Manda Chamar”, além de mais de 20 canções, como a obra-prima Ya Ya Massemba, Tempos Quase Modernos, Bom Começo e Flor da Memória, que dá nome ao espetáculo inventário.

Serviço:

Show Flor da Memória – “Inventário” com Roberto Mendes e José Carlos Capinan

Quando: 10 e 17 de julho de 2022
Horário: às 20h
Onde: Teatro Sesi Rio Vermelho – Rua Borges dos Reis, 09, Rio Vermelho Ingressos: Já disponível para venda na bilheteria do Teatro Sesi Rio Vermelho – telefones: (71) 3616-7064 ou pelo whatsApp (71) 99613-9975.
Valor: R$ 100 (inteira) e R$ 50,00 (meia entrada) no primeiro lote até 20/06. Após a data, R$ 120,00 (inteira) e R$ 60,00 (meia entrada).
Direção Artística: Arthur Dazzani e Roberto Mendes
Realização e Produção: Arthur Dazzani
Contato: 71 99613-9975 / arthurmachadodazzani@gmail.com

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.