O Portal Jack Comunica não se responsabiliza pelos conteúdos publicados pelos nossos colunistas.

Cidadania

No Dia da Mulher, as Pretas Por Salvador, lembram o que já foi feito, em apenas dois meses de mandata, na política institucional em Salvador.

.

Uma data tão emblemática e representativa como o Dia da Mulher, jamais passaria em despercebida pelas Pretas Por Salvador. Mandata composta por três mulheres negras (Laina Crisostómo, Cleide Coutinho e Gleide Davis), as Pretas Por Salvador são do PSOL/BA e se destacam por ser a primeira mandata coletiva do estado baiano.

“Tenho muito orgulho em fazer parte dessa mandata ao lado de duas mulheres incríveis que constroem a luta para além da política institucional. Nós construímos a luta com muita resistência, com ocupação de espaços dos movimento sociais. Nós nos unimos porque a gente entende que a saída é pela emancipação e libertação e todas as mulheres, não só nós três, mas uma emancipação coletiva. O objetivo é fazer uma revolução que não é só por nós, mas sim pelo nome e história de todas as mulheres”, pontua a co-vereadora Laina Crisóstomo.

Em dois meses de trabalho, as Pretas Por Salvador já tiveram seis sessões especiais aprovadas: “Dia de luta pela descriminalização e legalização do aborto”, “Dia da visibilidade lésbica”, “Dia de luta pela eliminação da discriminação racial”, “Dia do orgulho LGBT”, “Dia de aprovação da Lei Maria da Penha” e também o “Aniversário da ONG TamoJuntas”, organização, feminista composta por mulheres profissionais que atuam voluntariamente na assistência multidisciplinar a mulheres em situação de violência e que possui voluntárias em diversas regiões do Brasil.

Além disso, foi requerida a criação da Comissão especial de Direito a cidade e quatro projetos de lei: 1. Criação de centros e casas de parto (PL Agenda Marielle); 2. Criação da semana de conscientização da Violência obstétrica; 3. Combate a pobreza menstrual com distribuição de absorventes e inclusão do absorvente como item da cesta básica; 4. Não é Não – campanha de conscientização e enfrentamento ao assédio e violência sexual (PL Agenda Marielle) e também um projeto de indicação protocolado (Prioridade nas vagas, atendimento e cursos profissionalizantes no SIMM por mulheres em situação de violência, mulheres negras e mulheres trans) e mais duas sessões especiais protocoladas (Dia de combate a gordofobia e Dia de combate ao Genocídio da Mulher negra – Memória de Marielle).

“Tem sido uma experiência maravilhosa ver os nossos ideais serem efetivados. Acreditamos sim que tendo na política a atuação feminina, traremos resultados, mudança e uma nova construção para p caminho das mulheres”, comenta a co-vereadora Gleide Davis.

Tags

Jacson Gonçalves

Tenho 25 anos sou natural de Salvador, Bahia. Sou cadeirante, jornalista, Blogueiro e Digital influencer. Ser jornalista é também contribuir com o exercício da profissão e ter na veia a responsabilidade social de levar informação e entretenimento.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios