O Portal Jack Comunica não se responsabiliza pelos conteúdos publicados pelos nossos colunistas.

O Portal Jack Comunica não se responsabiliza pelos conteúdos publicados pelos nossos colunistas.

MAM lança Catálogo, Videodança e anuncia Residência Artística, Programa de Monitores e os 100 Anos de Rubem Valentim

Foto: Videodança Dona Lina por Dona Lia ftIsabelGouvêa (9)☝🏼

Nesta quinta-feira (31), o Museu de Arte Moderna (MAM-Bahia) lança na sua sede, o Solar do Unhão, o Catálogo da exposição ‘O Museu de Dona Lina’, às 17h, e o Videodança ‘Dona Lina por Dona Lia’, às 19h, no Cine MAM Saladearte. No mesmo evento, o MAM fará anúncios: a nova Residência Artística com o Acervo da Laje (https://www.acervodalaje.com.br/), o ‘Programa de Monitores Amigos do MAM’ e sua nova mostra a ser aberta ao público em 18 de abril, ‘Encruzilhada’, com curadoria do artista visual baiano, Ayrson Heráclito, e do curador do museu, Daniel Rangel.

O MAM também anuncia as comemorações dos ‘100 Anos de Rubem Valentim’ que começam com a exposição ‘Ilê Funfun’ neste sábado (02.04) em São Paulo, mostra que segue depois para Brasília e Salvador, onde será reinaugurada a Sala Rubem Valentim no Parque das Esculturas do museu. A mostra é composta por três núcleos: o ‘Templo de Oxalá’, considerado o ápice do trabalho de Valentim, doado ao MAM-Bahia (1997), o ‘Ateliê do Artista’ do Museu de Arte de Brasília e ‘Cronologia’ que traz sua história, a partir da documentação do acervo do Instituto Rubem Valentim.

O Catálogo ‘O Museu de Dona Lina’ trata da mostra que ficou em cartaz no Casarão e Capela do MAM, de agosto/2021 a fevereiro/2022. Já a Videodança ‘Dona Lina por Dona Lia’ de 17’ (dezessete minutos) é um trabalho criativo da coreógrafa e professora da UFBA, Lia Robatto, inspirado na arquiteta ítalo-brasileira, Lina Bo Bardi (1914-1992) e o seu projeto para o Solar do Unhão. Lina foi a primeira diretora do MAM-Bahia (1959-1964), autora e coordenadora das obras de restauro do solar finalizadas em 1963.

300 OBRAS e ESPAÇOS do MAM – A exposição ‘O Museu de Dona Lina’ reuniu cerca de 300 obras do Acervo fixo do MAM, com artistas modernistas e contemporâneos, junto a peças do Acervo de Arte Popular Lina Bo Bardi do Solar Ferrão (Dimus/Ipac), promovendo diálogo entre as duas coleções. Na mostra estavam presentes obras de modernistas, como Tarsila do Amaral e Candido Portinari, e contemporâneos como Mario Cravo Neto e Marepe. Já a Arte Popular mostrou peças utilitárias e figurativas, como carrancas, ex-votos, imaginária, vestuários de couro, utensílios domésticos e mais itens.

O Videodança ‘Dona Lina por Dona Lia’ tem direção de Lia Robatto e Pola Ribeiro, trilha sonora de Wilton Batata, coreografia e roteiro de Lia, montagem de Lucas Semente e fotografia de Lázaro Noia e Pepito Gonzalez. Os intérpretes/dançarinos foram Luana Fulô, Sibele Bulcão, Simone Bonfim e Leonardo Luz, além da participação especial do cantor e compositor, Gerônimo Santana. A produção do vídeo usa vários espaços do MAM como cenário, como a Capela, o Casarão e o Espaço Lina.

RESIDÊNCIA e PROGRAMA de MONITORES – O MAM desenvolve um Programa de Residências Artísticas desde o ano passado (2021) e o último participante foi a Pinacoteca do Beiru. Agora, será a Associação Cultural Acervo da Laje (https://www.acervodalaje.com.br/) que é sediada em duas casas na Enseada do Cabrito, próxima à Avenida Suburbana, no Subúrbio Ferroviário, em Salvador. O Acervo da Laje dispõe de bibliotecas, hemeroteca, coleções de CDs, discos, manuscritos, croquis, azulejos, porcelanas, artefatos históricos, quadros, esculturas, fotografias e objetos que contam a história do Subúrbio Ferroviário, dialogando com toda a cidade. O Acervo participou da 3ª Bienal da Bahia e da 31ª Bienal de São Paulo no Simpósio Usos da Arte.

O Programa de Monitores Amigos do MAM se utiliza do site governamental Portal do Voluntariado (http://www.estadovoluntario.ba.gov.br/) para desenvolver parcerias com pessoas que desejem prestar serviços de auxílio ao museu. “A ideia é também promover uma experiência mais completa, interpessoal, direcionada e atrativa aos visitantes, bem como, estreitar o relacionamento e contato do público com o museu”, explica o diretor do MAM, Pola Ribeiro. O programa deve começar com a nova exposição do MAM, ‘Encruzilhada’, que abre dia 18 de abril.

EXPO VIRTUAL, CATÁLOGO e HORÁRIOS – Os interessados de qualquer lugar do mundo ainda podem acessar a mostra ‘O Museu de Dona Lina’ pela internet via link http://virtual.mam.ba.gov.br/. A exposição também tem a ‘Galeria de Artistas e Obras’ com fotos e minibiografias no link http://www.mam.ba.gov.br/gallery/o-museu-de-dona-lina/. O MAM dispõe ainda do seu ‘Catálogo’ com acesso na barra superior do site www.mam.ba.gov.br no link ‘Acervo’.

A próxima exposição do MAM é ‘Encruzilhada’ (Casarão e Capela) que propõe diálogo entre o Acervo do MAM (moderno/contemporâneo) e a Coleção de Arte Africana do Solar Ferrão (Dimus/IPAC). O museu funciona de terça a domingo, das 13h às 17h, mas o Cine MAM e o Café Saladearte (http://saladearte.art.br/) ficam abertos todos os dias, das 12h às 22h. Já o projeto Sollar Baía (@sollarbaia, música/gastronomia) termina no final de abril. Acesse: www.mam.ba.gov.br, redes sociais (instagram e facebook) ou telefone (71) 31176132 e 31176139 (segunda a sexta, 9h às 12h e 13h às 15h). O MAM é um equipamento da Secretaria de Cultura/IPAC.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.