O Portal Jack Comunica não se responsabiliza pelos conteúdos publicados pelos nossos colunistas.

O Portal Jack Comunica não se responsabiliza pelos conteúdos publicados pelos nossos colunistas.

“Mãe de Cardiopata” fará mobilização no Farol da Barra para chamar atenção sobre cardiopatias congênitas

O Dia Nacional da Conscientização da Cardiopatia Congênita é celebrado todos os anos, no 12 de junho. Segundo dados do Ministério da Saúde, um a cada 100 bebês que nascem no Brasil são cardiopatas congênitos. O problema é quase sete vezes mais frequente do que as doenças neurológicas. Por isso, a necessidade de espaço para debater e conscientizar a população. Paula Magalhães, mãe de Bernardo, de quatro anos, portador de uma cardiopatia congênita, a Tetralogia de Fallot, criou um Instagram (o @maedecardipata) antes no nascimento do filho, para compartilhar informações sobre as Cardiopatias e o dia a dia deles. Paula e algumas mães que chegaram através do Instagram e das estadias nas UTIs vão promover, no dia 12 de junho, uma mobilização no Farol da Barra. Mais de 100 mães irão participar. O objetivo é chamar atenção para o problema e alertar sobre a importância do diagnóstico precoce, através do exame ecocardiograma fetal. “A idéia desse movimento é antiga, mas só agora conseguimos colocar em prática. Vamos lutar para gerar atenção para um tema tão importante: o DIAGNÓSTICO PRECOCE SALVA VIDAS!”, explica Paula.

A ação no dia 12 de junho, domingo, será no Farol da Barra, ponto representativo de Salvador e começará a partir das 8 horas. Irão participar mães, pais e profissionais de saúde. Todos estarão segurando balões em formato de coração e irão distribuir panfletos informativos. Para as crianças cardiopatas presentes, o grupo de recreação Garatuja garantirá diversão e acolhimento. “Estamos buscando clínicas, profissionais de saúde que atendam crianças cardiopatas, sindicatos, sociedades (de cardiologia e pediatria), para que eles se juntem a nós e também abracem essa causa”, conta Paula.

Assim como em outras doenças, o diagnóstico precoce pode ser decisivo para uma abordagem mais assertiva. O exame de ecocardiograma fetal é simples de ser realizado ainda durante a gravidez da mulher e é a forma mais segura de identificar desde a barriga, possíveis alterações e cardiopatias nos bebês. Em Salvador, o exame pode ser realizado via SUS na Maternidade José Maria, para pacientes já acompanhadas no local, com 40 vagas mensais. Outra opção é a realização através de convênios médicos que, em alguns casos reembolsam o valor total do exame. “Precisamos fazer essa informação circular. As pessoas precisam realizar o exame e antes do nascimento já conversarem com seus médicos.

Segundo a Dra. Karla Pedrosa, cardiologista ecocardiografista fetal e pediátrica, o diagnóstico precoce das cardiopatias congênitas, idealmente ainda em vida intrauterina através do ecocardiograma fetal, possibilita planejamento da assistência pré natal, assim como o parto e assistência pós natal. “O ecocardiograma fetal já é uma realidade para medicina conveniada, porém no SUS o exame está restrito a apenas um serviço no Estado da Bahia. Informar, conscientizar sobre a importância das cardiopatias congênitas, se faz imperioso para que ações sejam implementadas visando assistência adequada aos nossos pequenos corações”, finaliza a médica.

Serviço:
Dia Nacional da Conscientização da Cardiopatia Congênita
12 de junho de 2022, 8h, Farol da Barra
Organização: Mãe de Cardiopata
Patrocínio: Alpha CO
Apoio: INTEGRA, Pipa Comunicação, Tiago Suarez Dantas (Industrial & Graphic Designer), Kaiaulu Va’a, Garatuja Recreação, Capelinha Original e Copiadora Universitária
Informações: @maedecardiopata

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.