O Portal Jack Comunica não se responsabiliza pelos conteúdos publicados pelos nossos colunistas.

Instituto Mandarina inaugura espaço na Fábrica Cultural

Parte do casarão de 1873 foi reformado com o objetivo de ampliar as iniciativas de fomento cultural na Bahia

O Instituto Mandarina inaugurou nesta sexta, 28 de junho, a requalificação de espaços na Fábrica Cultural, organização social que promove formação e geração de renda por meio de ações que articulam educação, arte e cultura em Salvador. O casarão, localizado na Ribeira – uma construção neoclássica do século XIX erguida em 1873 – vem sendo reformado para ampliar as suas iniciativas culturais e artísticas na Bahia. O evento contou com a presença do Prefeito de Salvador, Bruno Reis, gestores municipais e representantes do setor cultural da Bahia.

A Fábrica Cultural, sediada no local da antiga Fábrica de Linhos Nossa Senhora de Fátima, é um polo que contribui para o desenvolvimento social e econômico do território da península de Itapagipe, com grande impacto na cidade de Salvador. Seu reposicionamento físico, segundo a presidente do Instituto Mandarina, Neila Larangeira, “vai expandir a programação e identidade cultural de Itapagipe com exposições, festivais, cinema, teatro, circo, shows, feiras e aulas”.

A Península, segundo o Plano de bairros de Itapagipe, é composta por 14 bairros, tem 164.264 pessoas (IBGE, 2010) e 7,26 km² de extensão. A população é majoritariamente feminina (54%) e negra (83,16%). De 81.620 moradoras, 39% são chefes de família. Os jovens, por sua vez, 46% dos residentes.

Além disso, a renovação do imóvel, que tem 3.000 m² de área construída e 7.000 m² de área total e contou com um time multidisciplinar de historiadores, restauradores, arquitetos, engenheiros e profissionais locais da península de Itapagipe, também tem como diretriz o resgate econômico da Baía de Todos os Santos. “É um projeto que vai ajudar a economia do estado através do turismo e valorização da beira-mar”, diz Neila Larangeira.

Com a revitalização, Neila explica que o Mandarina cumpre, de forma significativa, o seu papel de Investimento Social Privado com foco na Bahia. “Por meio de projetos como esse, conseguimos viabilizar o que Mandarina vem fazendo, que é apoiar projetos de inclusão social, interracial e o empreendedorismo na economia criativa, especialmente das mulheres e na periferia”, ressalta Neila.

Instituto Mandarina

O Instituto Mandarina é uma entidade que tem por objeto social apoiar, fomentar e promover a geração de renda e o empreendedorismo, visando a inclusão social e o combate às desigualdades, com foco no estado da Bahia. Em pouco tempo de atuação, o Mandarina já apoiou mais de 200 empreendedores.

Crédito: Gabriela Bandeira

Fabio Almeida

Tenho 38 anos, nascido em Salvador/Ba, um soteropolitano nato. Jornalista de profissão sigo o compromisso e responsabilidade com a verdade e apuração dos fatos.

Compartilhe