O Portal Jack Comunica não se responsabiliza pelos conteúdos publicados pelos nossos colunistas.

Diversidade

Centro LGBT da Bahia lança campanha para garantir direito ao nome social

O Centro de Promoção e Defesa dos Direitos da População LGBT da Bahia (CPDD-LGBT) lança na sexta-feira (5) uma campanha intitulada: “Me chame pelo meu nome: Nome social é direito garantido”. A ação tem como objetivo sensibilizar a sociedade acerca da importância da garantia de cada um ser chamado pelo nome escolhido.

O CPDD-LGBT, órgão da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), tem recebido muitas demandas para a troca do nome social em decorrência, principalmente, do preconceito e transfobia sofridos pelas pessoas transexuais que ainda não possuem nos seus documentos o nome social, expondo essas pessoas a situações discriminatórias em diversas situações, a exemplo de atendimento em hospitais e serviços públicos. Apenas no mês de fevereiro, em parceria com a Defensoria Pública, o CPDD-LGBT atendeu e encaminhou mais de 40 pessoas para efetuar a mudança de nome.

A campanha contará com publicações de peças publicitárias nas redes sociais, além de debates com advogados para informar sobre os procedimentos legais e passo a passo para mudança do nome nos documentos.

Para Tailon Alessandro, homem trans, 23 anos e modelo da campanha, a mudança nos seus documentos, além de ter sido uma conquista, é motivo de alívio e orgulho, por constar em seus documentos o nome escolhido por ele. “Estou muito feliz e seguro, pois passei por muitos constrangimentos pela falta do documento com meu nome. Era doloroso chegar aos lugares e ser chamado pelo meu nome civil. Hoje, eu sou Tailon. Isso me deixa muito feliz e certo de que não irei sofrer nenhum ato de transfobia por esse motivo”, celebra.

De acordo com Renildo Barbosa, coordenador do Centro e integrante da Instituição Beneficente Conceição Macedo (IBCM), responsável pela gestão do CPDD-LGBT, essa mudança é fundamental e urgente, pois é um direito da população trans que precisa ser garantido. “Não é apenas a troca do nome, é muito além, é a conquista da liberdade da transfobia, a autoestima e, principalmente, um direito garantido. Vamos fortalecer ainda mais a nossa rede para atender e fazer esse processo com o maior número possível de pessoas que buscam nossa equipe técnica. Vamos mudar essa realidade”, afirma Barbosa.

A campanha conta também com o apoio de mídia do Dois Terços, veículo de notícias LGBTQIA+ que há onze anos luta e visibiliza pautas da comunidade na Bahia e no Brasil. O CPDD-LGBT tem WhatsApp exclusivo para atendimento, triagem e encaminhamento para o corpo técnico, por meio do número (71) 9 9606-5505, das 8h às 17h, de segunda à sexta-feira.

Tags

Jacson Gonçalves

Tenho 25 anos sou natural de Salvador, Bahia. Sou cadeirante, jornalista, Blogueiro e Digital influencer. Ser jornalista é também contribuir com o exercício da profissão e ter na veia a responsabilidade social de levar informação e entretenimento.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios