O Portal Jack Comunica não se responsabiliza pelos conteúdos publicados pelos nossos colunistas.

Instituto Mandarina participa de imersão Brasil África, no Festival Afrofuturismo

A entidade irá participar do evento, que acontece no Centro Histórico, com acesso a palestras, Meetup com startups e relatório de insights e tendências da iniciativa

Buscando imersão em intercâmbio cultural Brasil África e apurar o seu olhar sobre esta relação, atualizando-se para disseminar estes conhecimentos, o Instituto Mandarina, entidade que fomenta a geração de renda no estado, participa com um grupo de 20 pessoas em um dos principais eventos de inovação, tecnologia e diversidade da América Latina: o Festival Afrofuturismo, que acontece no Centro Histórico, nos dias 20 e 21 de novembro, com palestras, oficinas, danças ancestrais e muitas outras atrações.
 
O grupo Mandarina, que reúne pessoas interessadas em inovação, diversidade e criatividade, poderá assistir a palestrantes negros nacionais e internacionais, programação  de painéis, workshops e atividades culturais. Ainda terá acesso a relatório de insights e tendências, disponibilizado a partir das discussões do evento e participará de um Meetup especial com startups e empresas aceleradas pela Vale do Dendê.
 
Segundo a fundadora do Instituto, Neila Larangeira, a participação em uma iniciativa que destaca a diversidade e o empreendedorismo, como o Festival Afrofuturismo, vai proporcionar um debate amplo sobre as tendências do mercado, assim como novas práticas de inovação, diversidade e inclusão.
 
“É um evento muito esperado que traz a oportunidade de conviver com a diversidade racial e cultural, entre jovens empreendedores, ativistas e especialistas do tema, enfim os  conhecedores e propagadores do Afrofuturismo, inovação, tecnologia e diversidade”.
 
Entre os nomes que os convidados do Mandarina terão acesso, estão: Grazi Mendes – Head de Diversidade, Equidade e Inclusão na ThoughtWorks; Karen Santos, cofundadora da UX para Minas Pretas; a futurista britânica Adah Parris, criadora da Cyborg Shamanism, entre outros. “É um intercâmbio cultural que, sem dúvidas, vai abrir as perspectivas dos participantes através de discussões pertinentes e relevantes para construção de um mundo corporativo mais inovador, inclusivo e abrangente”, diz Neila.
 
INSTITUTO MANDARINA
 
O Instituto Mandarina é uma entidade que tem por objeto social apoiar, fomentar e promover a geração de renda, o empreendedorismo e a cultura, visando a inclusão social e o combate às desigualdades, com foco no estado da Bahia. Para isso, o Instituto cria espaços de expressão e desenvolve iniciativas a fim de gerar investimentos sociais que ampliem as oportunidades de emprego e renda na Bahia.
 

Jacson Gonçalves

Tenho 25 anos sou natural de Salvador, Bahia. Sou cadeirante, jornalista, Blogueiro e Digital influencer. Ser jornalista é também contribuir com o exercício da profissão e ter na veia a responsabilidade social de levar informação e entretenimento.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *